in

Estes três médicos honraram o pacto que fizeram no ensino secundário para ajudar as crianças da cidade

Como crianças que cresceram nas cidades mais pobres e dominadas pelo crime de Nova Jersey, Sampson Davis, Rameck Hunt e George Jenkins prometeram superar as suas circunstâncias. Hoje em dia, os três são médicos – especialista em medicina de emergência, interno e dentista clínico, respetivamente – e estão a fazer a diferença, dando exemplos positivos e orientando crianças carentes.

Com familiares toxicodependentes ou presos, Sampson, Rameck e George fizeram a promessa de evitar esse caminho.

“Sou médico de medicina de emergência certificado, fui inspirado para ser médico há anos. Cresci num contexto muito desafiante, mas fiz uma promessa, um pacto com dois dos meus amigos do ensino secundário de todos os lugares, de me tornar médico”, conta Sampson.

Os três amigos entraram no programa de Pré-Medicina/Pré-Dental Plus da Universidade Seton Hall, projetado especificamente para incentivar os estudantes das minorias a seguirem carreiras médicas.

“Eu sei que durante o processo, pensei: “oh, eu tenho de ser a única pessoa que conheço a passar por isto”. Mas você ficaria surpreendido com a quantidade de pessoas que estão a passar por dificuldades semelhantes. Portanto, quando partilhamos esse tipo de sentimento de companheirismo, isso ajuda a aliviar a ansiedade e a perceber que não somos os únicos, que esta não é uma circunstância exclusiva a nós”, continua Sampson.

Eventualmente os três conseguiram os respetivos diplomas médicos na Universidade de Medicina e Odontologia de Nova Jersey.

Hoje, o Dr. Sampson Davis é médico de medicina de emergência em vários departamentos de emergência em Nova Jersey, o Dr. Rameck Hunt é interno no University Medical Center de Princeton e professor assistente de medicina na Robert Wood Johnson Medical School, e o Dr. George Jenkins trabalha como professor assistente de Odontologia na Universidade de Columbia.

Os três médicos acabaram por se tornar autores, dando a conhecer a sua jornada em vários livros inspiradores.

Como médico de medicina de emergência, Sampson é testemunha constante de traumas e angústia.

“Eu vejo muitos resultados infelizes. Vejo muitos casos de trauma, ferimentos de bala, facadas, acidentes de carro, contusões, vejo muita falta de atendimento pré-natal. São situações muito terríveis. Também assisto a casos de problemas de saúde mental, que são outro grande problema que todos enfrentamos e que não está relacionado com nenhuma comunidade em particular. Assisto a casos o abuso de substâncias. Vejo de tudo. Vejo falta de acesso a cuidados de saúde de qualidade e equidade na saúde, e essas são precisamente as áreas que precisamos para preencher as lacunas”, explica Sampson.

Estas limitações e a sua própria história pessoal levaram à criação da The Three Doctors Foundation (a Fundação dos Três Médicos), com o slogan “os nossos filhos não podem almejar a ser o que não conseguem ver”. O objetivo da fundação é motivar os jovens para sonhar mais alto e lutar pelos seus sonhos através da educação e da liderança.

A Three Doctors Foundation trabalha com vários parceiros, incluindo a Turn 2 Foundation, de Derek Jeter, que usa vários programas e atividades de liderança para incentivar as crianças a adotar estilos de vida saudáveis, como forma de evitar drogas e álcool.

“Temos alunos que precisam de orientação, seja de colegas ou de adultos, e temos os líderes de Jeter, que participam no nosso programa dando orientação a esses jovens, homens e mulheres”, explica Sampson.

Derek Jeter é considerado uma lenda para os New York Yankees, tendo recebido inúmeros elogios ao longo dos seus 20 anos de carreira. Na verdade, ele fundou a Turn 2 Foundation em 1996, o seu primeiro ano no basebol da liga principal. “Quando eu e o meu pai começamos isto há 23 anos, a comer pizza num quarto de hotel em Detroit, não sabíamos o que esperar”, admitiu.

A Fundação Turn 2 já deu mais de US $ 27 milhões para programas que ajudam os jovens a evitar influências negativas e superar obstáculos, e os seus médicos inspiradores certamente estão a causar um impacto positivo e a mudar a vida das pessoas.

“Estar no centro da cidade é importante, tal como poder ver a diversidade na medicina e em todas as profissões que importam, para que a comunidade e as profissões se representem. Mas estar na linha da frente e salvar vidas é um processo realmente emocionante, e pensar que tenho a oportunidade de fazê-lo, especialmente de onde vim, é uma bênção”, diz Sampson.

Este taxista deixou uma senhora levar 8 cães de rua que ela resolveu adotar no seu carro

E se voltasse a encontrar o grande amor da sua vida, o que faria?