in

Este canalizador arranjou a caldeira de uma mulher de 91 anos com doença terminal e cobrou-lhe $0

Atualmente, um canalizador tornou-se conhecido pela sua linda missão: ajudar os idosos e desfavorecidos ao ​​arranjar a canalização gratuitamente.

Embora todas as pessoas numa comunidade possam beneficiar de uma pequena ajuda, todos sabemos que os que mais precisam são idosos e pessoas com deficiência. Com medo de serem vistas como um fardo, essas pessoas raramente pedem ajuda, mesmo que precisem.

James Anderson, residente na cidade britânica de Burnley, sabe disso muito bem. Recentemente, o canalizador arranjou a caldeira estragada de uma mulher idosa sem lhe cobrar um único cêntimo.

O seu ato gentil foi amplamente elogiado online depois de a fatura de 0 libras da senhora com leucemia ser partilhada no Facebook pela filha da idosa, Christine Rowlands.

James, originalmente de Liverpool, diz que a cliente terá “serviços de canalização gratuitos por toda a vida”.

Acontece que este não é o primeiro ato de bondade do canalizador. Desde que ele transformou o seu negócio numa comunidade para pessoas vulneráveis, já ajudou milhares de pessoas – 2.389 pessoas desde março de 2017, para ser exato.

A inspiração para iniciar a sua empresa, a DEPHER, surgiu após um cliente ter procurado uma segunda opinião. Ele descobriu que o homem idoso esteve para pagar mais de $5.000 por uma nova caldeira, quando tudo o que ele realmente precisava era de uma simples substituição de uma peça.

“Isso fez-me pensar noutras pessoas idosas e vulneráveis ​​– precisamos de fazer algo mais para ajudar as pessoas que mais precisam. Muitas pessoas idosas e deficientes não gostam de pedir ajuda e, se não puderem pagar algo como o arranjo das caldeiras, talvez não o façam e sofram com isso. Estamos cá para tirar essa preocupação”, disse James.

James está ciente de que, mesmo que quisesse, nem sempre poderia fornecer serviço gratuito, se não houvesse financiamento nada seria possível, e admitiu que tem sido uma “luta”.

A sua organização sem fins lucrativos depende principalmente de doações e financiamento coletivo para apoiar o serviço. No entanto, James já acumulou cerca de £ 8.000 em dívidas pela execução do serviço, mas garante que tudo está sob controlo, pois está a pagar lentamente ao banco em prestações mensais de 100 libras.

Mas mesmo quando o financiamento está a acabar, ele ainda oferece um desconto de 25%.

“Enquanto eu tiver dinheiro suficiente para encher o tanque do meu carro, lá estarei para tentar ajudar as pessoas que precisam”, disse James.

Christine, a filha da senhora que ele ajudou, descreveu James como um “anjo vestido de canalizador”.

Ela disse à CNN que conheceu James quando a caldeira da sua mãe se estragou e que eles precisavam de alguém que pudesse arranjá-la a um custo reduzido. “James é uma estrela absoluta, foi muito impressionante ver que não cobrou nada”, acrescentou.

“Precisamos de ser uma raça humana, cuidar uns dos outros”, diz James. Embora tenha conquistado o estrelato na Internet por causa da sua bondade, recusa receber todos os créditos, pois as suas ações são “um esforço da comunidade”. Muitos podem questionar-se o que é que o canalizador ganha com todas essas ações altruístas, ao que James responde: “simplesmente faz-me sentir bem por dentro”.

“Faz-me sentir humano, humilde e entusiasmado. Quero expandir este serviço por todo o país. Eu nunca vou desistir da luta”, continuou.

James espera conseguir alargar os serviços para além de Burnley, e a atenção trazida pelo recibo viral pode ser uma grande ajuda.
“Eu conheço outros canalizadores, a oferecer ajuda. A minha esperança é tornar a DEPHER nacional, presente em todas as cidades”, concluiu James.

Se desejar contribuir para o crowdfunding do DEPHER, pode fazê-lo através do seguinte link:

https://www.crowdfunder.co.uk/disabled-elderly-free-plumbing-heating-service

PARTILHE!

Sobreviveu ao cancro e foi a primeira pessoa a atravessar o Canal da Mancha a nado quatro vezes sem parar

Tente não chorar ao ver este menino receber o melhor presente da sua vida: uma família