Mulher só descobre que está grávida 30 minutos antes do parto

Esta é a história de Ally Opfer, uma estudante de 23 anos que vivia com os pais em Cleveland, Ohio, e cuja vida sofreu uma verdadeira reviravolta em dezembro de 2016.

No dia 21 de dezembro de 2016, Ally acordou muito bem disposta, porque ia com as amigas cheerleaders a um jogo de basquetebol.

Uma publicação partilhada por Ally Opfer (@allllyy_op) a

Infelizmente, começou a sentir dores bastante intensas na zona abdominal, e pensou que se tratasse da chegada da menstruação.

No dia a seguir, as dores continuavam, e não passavam mesmo com medicamentos, impossibilitando que Ally adormecesse.

A jovem contou aos pais o que estava a sentir e suponha ser dores menstruais, mas como não queria dar parte de fraca ajudou o pai a levar um sofá para o segundo andar.

Contudo, o esforço foi demasiado para ela, e teve de se arrastar para a cama, com esperanças de conseguir dormir e sentir-se melhor.

Como as cólicas estavam cada vez piores, Ally fez um teste de gravidez, mas este revelou-se negativo.

Quando os pais sugeriram que ela fosse ao hospital, a jovem descartou a hipótese pois não queria ir lá apenas devido a problemas menstruais considerados comuns.

Porém, às 23 horas, Ally sentiu dores tão fores que aceitou ajuda médica, e já no hospital os médicos fizeram-lhe vários exames.

Nas imagens, é possível ver a jovem no auge da sua gravidez, mas jamais alguém suspeitaria devido à sua aparência.

Tendo por isso descartado a hipótese de gravidez, o médico pensou que se pudesse tratar de cálculos renais, pois o exame de sangue tinha indicado uma infeção e a pressão arterial de Ally estava bastante alta.

Então, o médico pediu um ultrassom para confirmar as suspeitas, e a jovem teve o choque da sua vida.

“Você está na 39ª semana de gravidez e com uma dilatação de 10cm. Já tem muitas contrações e precisamos de a levar urgentemente para a sala de parto para que o bebé possa nascer”, disse o médico.

Ao ouvir aquilo, Ally ficou sem capacidade de reação, absolutamente incrédula. Depois, foi levada rapidamente para a sala de partos, em pânico total.

Ela simplesmente não percebia como não se tinha apercebido da gravidez, uma vez que tinha feito alguns exames e treinava como cheerleader, algo desaconselhado para mulheres grávidas.

Na sala de parto, um exame revelou que o feto estava bem mas encontrava-se em má posição e impossibilitou o parto normal.

Entretanto, a pressão sanguínea de Ally deu um salto assustador, pois sofria de uma forma grave de pré-eclâmpsia, isto é, envenenamento por gravidez, o que pode matar a mãe e o bebé.

Foi preciso fazer uma cesariana de emergência, e Ally contou com a presença da mãe ao seu lado o tempo todo.

Felizmente, o bebé nasceu a chorar às 3:31 da manhã de 23 de dezembro de 2016, e então a jovem começou a chorar, vendo que tinha acabado de ser mãe.

Ally e Oliver, o bebé, ficaram no hospital a recuperar, onde acabaram por celebrar o primeiro Natal juntos.

Após alguns dias, foram para casa e começaram então a sua vida. “Eu estava tão animada por mostrar a Oliver a sua casa e viver com ele. Recebi tanta ajuda da minha família inteira. Tornar-se mãe é uma grande mudança, mas sem o esperar é indescritível”, diz Ally.

Parece realmente impossível dar à luz sem sequer suspeitar que se está grávida, mas a verdade é que este tipo de gravidez não é tão raro quanto isso.

Nesses casos, os sintomas são enviados para o subconsciente, em especial quando se trata de mulheres com vidas nas quais a possibilidade de ter uma criança não é sequer contemplada.

Porém, Ally e Oliver habituaram-se um ao outro rapidamente e estão muito felizes. Hoje com mais de um ano, Oliver é um menino saudável e amado.

PARTILHE!

Camionista liga para o número rabiscado na casa de banho e encontra o amor

Mulher capta fotografia escondida atrás do idoso, e revela o que a funcionária está a fazer com a sua comida