Eles sentenciaram-na quando era bebé pela sua grave doença genética: os seus ossos mudariam até matá-la

Tiffany Geigel nasceu com Disostose Espondilocostal, uma doença genética bastante grave que afeta os ossos, que não crescem normalmente.

Happy Wednesday 😊

Uma publicação partilhada por Tiffany Geigel (@tgeigel) a

Eventualmente, a coluna de Tiffany ficaria arqueada, as costelas iriam impedir que esta respirasse e o pescoço dela ficaria demasiado curto. A certo ponto, a pressão dos seus órgãos internos seria tal, que Tiffany acabaria por morrer.

Embora o diagnóstico fosse tão desanimador, os pais de Tiffany recusaram-se a desistir dela. Aos 3 anos, a mãe inscreveu-a em aulas de dança em Nova York, a sua cidade natal, e desde aí que a menina foi habituada a dançar e exercitar-se, trabalhando a elasticidade.

Com o tempo, o corpo passou a ser diferente do das outras crianças, mas Tiffany ainda conseguia fazer o mesmo que elas, para surpresa dos médicos.

Ao contrário do que eles esperavam, atualmente Tiffany tem 32 anos, é ativa, e apesar de medir apenas 1,20m, é bailarina profissional!

“Creio que dançar me ajudou a dar forma a quem sou hoje em dia, a movimentar-me, a ser saudável. Efetivamente, graças ao exercício, sou capaz de fazer tudo o que as pessoas acreditavam que eu não poderia: conduzir, saltar, correr, nadar, entre outras coisas”, conta Tiffany.

O maior sonho de Tiffany é fazer com que as pessoas se esqueçam da sua deficiência física por instantes, devido à sua transformação em palco, pois lá não é uma mulher com uma doença nos ossos e sim uma autêntica bailarina profissional.

“Quero subir ao palco e dançar, fazer com que o público esqueça que sou diferente”, diz Tiffany.

PARTILHE!

Menina sequestrada: um rapaz viu um homem suspeito carrega-la pela mão

O terceiro ganha: 3 crianças conversam sobre qual pai é o mais rápido