in

Mulher australiana que perdeu o marido para o cancro leva consigo cartaz do marido em tamanho real pelo mundo

Quando se está com alguém, faz-se planos para o futuro com essa pessoa, partindo do princípio que terão muito mais anos juntos pela frente. Seja o que for, é um compromisso especial que fazem um com o outro.

Esta é a história de Michelle Bourke e do seu marido Paul, que prometeram viajar juntos quando tivessem tempo. Infelizmente, Paul morreu de cancro da pele antes de poderem realizar esse sonho.

“Começou como uma erupção cutânea na lateral do pescoço, como uma daquelas feridas de fazer a barba, mas espalhou-se. Uma semana depois, ficou escura, e ele voltou ao médico, fez uma biópsia e descobriu que era um melanoma”, lembra Michelle.

Quando acabaram de a remover, descobriram que a doença tinha alastrado para outras partes do corpo de Paul.

Dois anos após a cirurgia, Paul foi diagnosticado com Linfoma não-Hodgkin, após descobrir um caroço no pescoço. Depois de o removerem, Paul pensou finalmente estava curado, mas os médicos encontraram outro melanoma nas suas costas, que poderia ser o original. A partir daí, só piorou, ao ponto de ficar numa cadeira de rodas nos últimos dias.

Antes de morrer, Paul perguntou à sua esposa de 25 anos o que ela iria fazer quando ele partisse. “Vou viajar, como tínhamos planeado”, respondeu ela.

“Eu disse que ia tirar uma fotografia dele e fazer alguma coisa, como por exemplo um cartaz de Paul em tamanho real, para o por na mala e viajar”, explicou.

Michelle já levou o retrato do marido em tamanho natural numa grande viagem à volta do mundo, tendo visitado o Palácio de Buckingham, Stonehenge, Nova Iorque, Escócia, Singapura e Irlanda.

Ela espera conseguir visitar Hong Kong no final do ano, e o seu companheiro estará certamente ao seu lado.

“O Paul tinha um sentido de humor peculiar, e acho que ele me desafiou a fazer isto. E ele sabia que eu faria”, disse Michelle, que criou um livro sobre as suas viagens, detalhando as razões pelas quais embarcou nesta estranha mas comovente jornada.

Esperamos que Michelle consiga levar o seu amado marido de papelão para muitos mais lugares e assim consigam cumprir a promessa que fizeram um ao outro!

Casal adota bebé, 5 anos mais tarde ligam para o centro de adoção com notícias sobre a mãe biológica

Em Portugal, existe um banco onde a moeda não é o dinheiro e sim o tempo