Menino dá uma “rocha” ao pai – então ele descobre que esta vale $80,000,000

Um diamante pode ser o melhor amigo de uma mulher, mas para Roy Spencer, um menino de 12 anos em 1938, uma safira rara tornou-se incrivelmente valiosa. Quando Roy descobriu a pedra numa encosta e a trouxe para casa, o seu pai Harry decidiu guardar o tesouro do menino.

Mal sabiam eles o que se encontrava no interior daquela pedra coagulada… depois de Harry receber a pedra do pequeno, usou-a como um peso para a porta da sua casa central de Queensland, Austrália. Lá, a pedra decorou a varanda durante uma década até o joalheiro Harry Kazanjian descobrir o seu verdadeiro valor.

Harry tinha aprendido a polir pedras depois de ter sido abandonado pela sua família. Em 1908, a família fugiu da Turquia para a França para escapar da perseguição do genocídio arménio, mas enquanto embarcavam num navio destinado à liberdade que procuravam nos EUA, Harry foi afastado por causa de uma infeção ocular. Então, ele permaneceu em Paris e aprendeu com o seu tio, que era especialista em pedras.

Harry e o seu irmão James acabaram por viajar pelo mundo para procurar, comprar e vender pedras raras e valiosas. Harry descobriu a pedra negra na casa dos Spencers e observou-a mais de perto. No fundo da mesma, ele distinguiu um brilho de cor de cobre que reconheceu como um sinal de algo especial enterrado bem profundamente.

Então Harry, o joalheiro, comprou a pedra gigante do pai de Harry por US$18.000 e transportou-a para Los Angeles, onde ele e o seu irmão tinham uma loja. Depois de a polir cuidadosamente, descobriu que se tratava de uma estrela de seis pontas e impressionante, mais especificamente a Estrela Negra de Queensland. Harry deu-lhe a forma de uma cúpula e descobriu que pesava 733 quilates, o que na época valia US$300.000.

Aquele brilho de cor cobre que Harry tinha visto era uma impureza que cresce ao longo dos cristais de uma safira e cria um efeito ótico em forma de estrela, conhecido como um asterismo. Agora reconhecida como a maior safira estrela do mundo, a pedra foi exibida no Smithsonian, usada pela cantora Cher e apresentada no Museu Royal Ontario em Toronto.

Eventualmente, foi montado em ouro branco e adornada com 35 diamantes, toda à volta. Infelizmente, a bela e impressionante pedra gigante acabou no Tribunal Superior do Condado de Los Angeles no meio de uma confusão entre dois amantes.

A família Kazanjian acabou por a vender para financiar uma bolsa de estudos no Gemological Institute of America, onde o ex-modelo masculino Jack Armstrong a comprou com os fundos da namorada. Depois do seu relacionamento atribulado, Armstrong tentou vendê-lo a outros compradores sem o conhecimento da namorada, e a partir daí tudo deu para o torno e a pedra acabou no tribunal.

Hoje, a pedra é avaliada em US$80.000.000, e após a ação judicial, foi atribuída à namorada de Jack, que a tem atualmente.

Uma história incrível que merece ser PARTILHADA!

Com 17 anos, esta jovem já é mãe de sete filhos. Mas os pais não os querem reconhecer…

Neto chora de tanto rir ao ver o novo “gato” da avó