in

Falta de empatia: a doença do mundo

Hoje em dia, vivemos agarrados aos telemóveis, submersos no mundo das redes sociais e das ilusões.

Infelizmente, isso traz mais coisas más que boas, e embora a internet tenha aberto portas para uma maior informação e partilha, também dá espaço para notícias falsas e ódio gratuito.

A maior parte das pessoas mostra a sua vida nas redes sociais, dando aos outros a possibilidade de julgar sem conhecimento de causa. Desta forma, com o tempo, têm-se perdido valores morais muito importantes, como a empatia.

A maturidade emocional está intimamente ligada à capacidade de sentir empatia, de nos conseguirmos colocar no lugar do outro, de o ouvirmos e compreendermos e reconhecermos que não somos donos da verdade absoluta.

Ter maturidade emocional significa saber que a necessidade dos outros não é menos importante que a nossa. Que a nossa liberdade acaba quando começa a do outro – ou devia.

Quando não há empatia, aumenta a corrupção, a traição, a violência, o abuso, a intolerância, a indiferença, entre tantas outras coisas negativas.

o corruptos, traidores, violentos, assassinos, aproveitadores, sem-palavras, charlatões,

Sem empatia, há contratos quebrados, acordos por cumprir, identidades roubadas, lares destruídos, milhões desviados, trabalhos mal feitos, filas cortadas, favorecimentos ilícitos…

Quem não tem o dom da empatia acredita ser mais merecedor que o outro, por isso permanece cego, surdo e mudo para qualquer necessidade que não seja sua.

A falta de empatia é o a doença mundo. Só com empatia podemos curá-lo.

PARTILHE!

Após 70 anos, uma piloto da Segunda Guerra Mundial, de 92 anos, teve a chance de pilotar o seu avião mais uma vez

Este padre salva os cães de rua e leva-os à missa para serem adotados