Inspiração

Enfermeira conforta paciente em isolamento usando luvas cheias de água morna

Semei Araújo Cunha, enfermeira de São Carlos, ficou muito sensibilizada com o sofrimento de uma paciente com Covid-19 entubada, e esforçou-se para encontrar uma forma de lhe dar algum conforto.

Então, lembrou-se de encher duas luvas de látex com água morna, atar uma a outra com nós e usá-las para segurar a mão da doente internada.

“Tudo por um carinho, um conforto. Não basta ser profissional, temos de ser empático e humanos. Deixar o coração falar faz bem”, escreveu Semei na legenda da fotografia que partilhou nas redes sociais, na esperança de inspirar outros profissionais.

A técnica utilizada, conhecida como “mãozinha”, ajuda a aquecer as mãos dos pacientes e dar-lhes uma sensação de segurança e companhia.

Devido às restrições no contacto físico resultantes da pandemia, muitas pessoas são forçadas a ficar em isolamento e sentem-se muito sozinhas.

Naturalmente, o sofrimento é ainda maior quando os doentes estão internados, sozinhos, sem poder ter contacto com os que mais amam.

“É muito triste e desolador. Pacientes internados, intubados, sem contacto com a família, sem contacto com ninguém. Quem conversa, é só por telemóvel e videochamada, não há mais aquele toque de carinho, aquele afago. Não podem receber visitas e tornam-se ainda mais vulneráveis. Querendo ou não, as luvas ajudam muito na carência porque esta doença deprime muito”, concluiu Semei.

PARTILHE!

Mais Populares

To Top

Possível adblock detectado

Se estiver a usar um Ad Block por favor desligue-o no nosso website. Os anúncios são essenciais para a manutenção deste website.

Refresh