in

Youtuber de 6 anos compra bloco de apartamentos de 7 milhões de euros na Coreia do Sul

Boram, uma sensação do YouTube de 6 anos da Coreia do Sul, comprou um prédio de apartamentos de cinco andares em Seul, por 6,4 milhões de libras (aproximadamente 7 milhões de euros).

A pequena comprou a propriedade nos subúrbios de Gangnam no dia 3 de abril com os seus pais, através da empresa Boram Family, de acordo com um documento público de registo imobiliário.

A sensação da internet faz 2,5 milhões de libras por mês nos seus dois canais do YouTube – o Boram Tube Vlog tem 17,5 milhões de subscritores e o Boram Tube ToyReview tem outros 13,6 milhões – sendo que o público-alvo de ambos são as crianças.

Boram é uma das YouTubers coreanas mais populares – um dos seus vídeos já foi visto mais de 376 milhões de vezes! Nesse vídeo, é possível ver a pequena a fazer macarrão instantâneo usando uma cozinha de brincar de plástico.

Porém, nem tudo é cor-de-rosa – existem várias preocupações de bem-estar relativamente à menina. A Save The Children submeteu alguns dos vídeos à polícia, em que se pode ver Boram a tentar roubar da carteira dos seus pais, conduzir um carro na estrada e até a fingir dar à luz.

O caso foi a tribunal em 2017, pois os pais de Boram foram acusados de “obter lucro financeiro ao colocar a criança em situações que podem colocá-la sob stress mental e distribuir as imagens ao público, com uma influência negativa na própria e nos telespectadores menores de idade”. O Tribunal de Família de Seul decidiu que os pais de Boram precisavam de realizar um curso de aconselhamento destinado a prevenir o abuso infantil.

As preocupações estão a crescer relativamente aos pais que aparentemente usam os seus filhos para ganhar dinheiro através de vídeos no YouTube.

No ano passado, a conta do YouTube “FamilyOfFive” foi removida por queixas quanto aos seus vídeos controversos, produzidos por dois pais que entretanto foram acusados ​​de negligência infantil.

O canal FamilyOfive (anteriormente DaddyOFive), operada pelos pais dos pequenos Maryland, Mike e Heather Martin, tornou-se motivo de indignação devido à publicação de vídeos em que era evidente o abuso mental e físico dos seus próprios filhos sob a forma de “brincadeira”. Como resultado, acabaram por perder a custódia dos pequenos.

“O conteúdo que coloca em risco as crianças é inaceitável para nós. Temos trabalhado bastante juntamente com especialistas em segurança infantil para garantir que adotamos políticas rígidas e as impomos veemente. Por violarem as nossas diretrizes, removemos todos os seus canais de acordo com os nossos Termos de Serviço”, declarou o YouTube em relação a esse caso.

Infelizmente, cada vez mais pais recorrem aos filhos como fontes de rendimento – é necessário um esforço coletivo para acabar com isso, e tudo começa pela consciencialização e informação.

PARTILHE!

Passe a noite num Igloo de vidro a olhar para a aurora boreal

Dicas de saúde mental para cada um dos 12 signos do zodíaco