Santa Casa recusa pagar prémio de valor elevado a uma vencedora na “Raspadinha”! O motivo é insólito!

Recentemente, a Santa Casa recusou-se a pagar o prémio de uma raspadinha, e sendo um organismo do estado português, não há um regulador para verificar a gestão abusiva da instituição relativamente ao jogo.

Este é o caso de Célia Esteves, uma mulher de 41 anos que vive em Vila Verde, e no mês de Maio comprou uma raspadinha vencedora.

Infelizmente, o boletim tinha um pequeno rasgo de 2cm, e a Santa Casa utilizou isso para justificar o não pagamento do prémio.

Na verdade, há diversos sistemas de controlo de boletins como códigos de barras ou dígitos aleatórios que possibilitam à instituição descobrir a veracidade do boletim, mas obviamente é conveniente fugir de pagar 5000€.

“Irei até às últimas consequências. Fiquei muito contente quando vi que tinha o prémio”, conta Célia, funcionária de uma loja de ótica, cujo caso tem sido arrastado desde Maio.

Célia dirigiu-se ao Porto para recolher o valor do prémio, e aí disseram-lhe que não seria possível, pois o cartão tinha um rasgo de 2cm.

Também recentemente, outra senhora premiada levou um mês para levantar 400€, pois ficou internada no hospital, e quando finalmente teve oportunidade de o fazer, disseram-lhe que o boletim tinha passado de validade, embora o prazo não conste em nenhum lugar.

A última senhora resolveu não apresentar queixa, mas Célia vai avançar com um processo contra a Santa Casa.

Foto de pai filipino altruísta está a deixar todos com lágrimas nos olhos

Menina de 11 anos chora quando o diretor da escola lhe diz para mudar de roupa – então, a sua avó decide agir