in

Uma rapariga de 17 anos é forçada a dar à luz na rua

Em agosto de 2017, na aldeia de Jharkhand, na Índia, uma jovem de 17 anos foi obrigada a dar à luz na rua porque os funcionários de uma clínica médica se recusaram a ajudar.

A adolescente namorava com um homem da mesma aldeia, mas quando este descobriu que ela estava grávida deixou-a sozinha.

Para além disso, também os familiares da jovem lhe viraram as costas, com receio de ser a vergonha de Jharkhand.

Então, a rapariga teve de sair de casa, e foi condenada a viver na rua durante os últimos 4 meses de gravidez.

Ao sentir que o nascimento do bebé estava prestes a acontecer, dirigiu-se para o Chandil Sub Divisional Hospital, mas como não tinha acompanhantes, os funcionários rejeitaram-na por não quererem assumir as responsabilidades.

Passadas algumas horas, a jovem teve de dar à luz na rua, a trinta metros da clínica. Um homem que passou por ela viu as suas roupas manchadas de sangue, e resolveu chamar a polícia.

Om Prakash Sharma, o homem de 50 anos, disse à comunicação social: “a mãe e o bebé estavam deitados na rua a sofrer, e eu coloquei sinais à volta deles para impedir que um veículo os atingisse”.

“Um homem foi à clínica pedir ajuda, mas eles recusaram-se. Disseram que não podiam admitir a menina porque ela não tinha os pais com ela para cuidar dela, então decidimos alertar a polícia”, conta Om.

Ao ouvir o caso, o Dr. Lakhindra Hansda foi de imediato ter com a adolescente para cortar o cordão umbilical do bebé. Alguns moradores fizeram questão de levar a jovem mãe para a clínica, onde finalmente lhe prestaram auxílio.

Segundo a Dra. Lalita Kashyap, que trabalha no Chandil Sub Divisional Hospital, é verdadeiramente inaceitável que isto tenha acontecido.

Entretanto, os oficiais da clínica pediram desculpa pela situação e garantiram que a mãe e o bebé estavam bem.

Casal é expulso de um cruzeiro porque a mulher sofre de Alzheimer

Sem medos, Maria Vieira arrasa Dolores Aveiro