in

Quando um homem casado trai, não está a trair só a sua mulher, mas também os seus filhos

A traição é uma das causas mais comuns para o final das relações. Num mundo cada vez mais social, não faltam oportunidades de trair a pessoa com quem se está, até porque existem tantas tentações, e muitos acabam por ceder – especialmente se não se amarem a outra pessoa o suficiente.

Aqueles que traem estão a falhar num pacto de amor, um pacto familiar, estando assim a trair não só o parceiro como também os seus filhos. Mas muitas vezes todas as falhas são colocadas na terceira pessoa que entrou em cena, vista como destruidora de lares, quase diminuindo as responsabilidades de quem traiu efetivamente.

Mas há mulheres que sentem a traição de uma maneira diferente e são até capazes de perdoar “a outra mulher”, aliviando-a das responsabilidades que normalmente caem sobre ela.

A maior culpa é daquele que quebrou o pacto, que prometeu amor eterno e uma família feliz, e que mentiu e fingiu por tanto tempo, escolhendo uma vida dupla.

E depois há a outra mulher, que talvez soubesse de tudo ou não, mas que se tornou parte de um horrível engano.
Seria fácil odiá-la e insultá-la, mas isso significaria viver uma vida cheia de amargura e nada mais. Uma vida sem serenidade, feita apenas de tormentos.

Certamente, essa mulher conhece o seu sofrimento porque é um sofrimento que ela mesma experimentou na sua vida, porque se vê um pouco em si e vice-versa, mesmo que você não saiba. Pois ambas se apaixonaram pelo mesmo homem. As duas ouviram só as suas promessas e declarações de amor verdadeiro e acreditaram.

Mesmo que ele deixe a mulher para ficar com “a outra”, tal como traiu a esposa, amanhã poderá ser a vez da amante.

Mas ela ainda não percebeu isso e vive iludida, enquanto a ex-mulher já começou a seguir em frente, com o amor dos seus filhos.

Volkswagen apresenta conceito de Type 20 elétrico que mistura a antiga “Pão de Forma” com o moderno

Se não estás feliz com a tua vida, muda-a. É tua responsabilidade fazer isso