in ,

Mãe com demência recupera a memória após consumir 2 alimentos diariamente

Esta é a história de Mark Hatzer, que se apercebeu que a mãe, Sylvia, de 82 anos, estava a perder a memória.

Em pouco tempo, os esquecimentos tornaram-se tão sérios que Mark viu-se forçado a internar a mãe, que deixou de o reconhecer e até chegou a acusá-lo de a querer raptar.

A sua demência representava um perigo para a própria segurança, pelo que Sylvia teve mesmo de permanecer hospitalizada.

“Quando a minha mãe estava no hospital, ela pensou que era um hotel – mas o pior em que ela já tinha estado. Não me reconheceu e ligou à polícia porque pensava que tinha sido sequestrada” conta Mark.

Depois de perder o pai em 1987, Mark sentia agora que tinha perdido os dois pais, embora a mãe continuasse viva.

“Eu desesperei e nunca me senti tão sozinho, pois não tinha mais família a quem recorrer. Passámos de uma família feliz para uma em crise”, diz Mark.

Contudo, Mark fez questão de elaborar uma dieta para tentar reverter a demência da mãe em vez de a medicar.

Para isso, pesquisou intensivamente, e descobriu que em muitos países mediterrânicos a demência é praticamente inexistente por causa da alimentação praticada.

Esta é feita à base de alimentos “impulsionadores do cérebro”, como as nozes e os mirtilos. “Toda a gente sabe que o peixe é bom, mas os mirtilos, morangos, castanha do Brasil e as nozes também. Estes aparentemente têm a forma de um cérebro como um sinal de que são bons para o cérebro”, partilhou Mark.

Entretanto, a senhora também começou a ingerir outros alimentos, como brócolos, aveia, batata doce, chá verde e chocolate amargo.

E não é que Sylvia começou mesmo a recuperar a memória aos poucos? “Não foi um milagre da noite para o dia, mas depois de alguns meses ela começou a lembrar-se de coisas como aniversários”, conta Mark.

A idosa não só iniciou uma nova dieta, como começou a praticar exercícios para a mente e para o corpo, e a socializar mais.

Atualmente, a sua memória está a melhorar! “As pessoas acham que, quando se recebe um diagnóstico assim, a vida acabou. Você vai ter dias bons e maus, mas não precisa de ser o fim”, diz o filho de Sylvia.

Após as melhorias da senhora, a Sociedade de Alzheimer do Reino Unido passou a recomendar o método de Mark, partilhando a dieta, receitas e exercícios no blog. “Atualmente, não há cura ou forma de prevenir a progressão da doença. Mas fazer exercícios suaves regularmente, uma dieta saudável e exercícios cognitivos pode ajudar alguém com demência a gerir a sua condição com mais eficácia”, diz Sue Clarke, da organização.

Como forma de homenagem ao esforço desta família, Sylvia foi convidada para uma das festas de jardim de verão mais famosas, da rainha Isabel II do Reino Unido!

“Para a minha mãe, saber que ajudou outras pessoas realmente ajudou-a. Eu fiz isto pela minha mãe. Ela tem a condição e fez todo o trabalho duro”, conta Mark.

Depois de acidente em passeio, cães ajudam mulher a sobreviver durante 3 dias

Mãe dá à luz a filha após parto exaustivo de 40 horas, mas depois o médico descobre algo surpreendente