Emocionante

Lentamente estou a aprender como deixar ir as pessoas que não me valorizam

“Toda a minha vida pensei que nunca deveria parar de acreditar nas pessoas. Quando alguém entrava na minha vida, pensava que deveria fazer todos os possíveis para manter a pessoa na minha vida.

Sempre pensei que qualquer pessoa que entrasse na minha vida precisava de ficar nela. Mas eu estava completamente errado. Eu era muito inocente ao pensar que cada pessoa que entrava na minha vida merecia estar nela e no meu coração. Eu estava a magoar-me por não aceitar o facto de que só porque amo alguém, isso não significa que essa pessoa tenha a capacidade de me amar de volta.

Eu não podia acreditar que não devolveriam o amor que eu estava a dar. Fizeram-me lamentar quando lhes dei amor. Eu não entendia. Porque é que algumas pessoas estavam a tentar magoar-me quando eu fazia tudo por elas? Levei muito tempo, deceções amorosas e noites solitárias a adormecer a chorar para perceber que algumas pessoas simplesmente nascem más. E que não há nada que possamos fazer para mudar quem são. Achei que tinha o poder de mudar as pessoas para melhor, mas não fui capaz. Imaginei que se lhes desse amor suficiente, elas seriam boas. Mas perdi-me em esforços sem resultados.

Não sabia o que fazer. Continuei a dar e a dar, sem receber. A minha bondade sempre foi o meu calcanhar de Aquiles. Nunca recebi amor de volta. Nem pedi. Mas um dia, percebi que estava tão cansado que mal conseguia sair da cama. Eu odiava-me por ser fraco e ter esgotado todo o amor que tinha para dar.

Eu estava tão ocupado a tentar amar todos ao meu redor que me esqueci completamente de mim mesmo. Tentei ser a melhor pessoa que podia para as pessoas à minha volta e tudo o que elas fizeram foi usar-me. Quando perceberam que não podiam mais usar-me, viraram-me as costas e deixaram-me. Eu estava emocionalmente esgotada. Fiz o meu melhor por aqueles que não mereciam nada. Estava sozinho e magoado e percebi que tinha de me salvar.

Eu tive de proteger o meu próprio coração. Antes achava que ficar sozinho era a coisa mais distante do que eu precisava, mas depois percebi que era o que me levaria a fazer o que eu tinha de fazer. Pensei nas pessoas sem as quais acreditava não poder viver e que continuaram com as suas vidas sem mim como se nada tivesse acontecido.

Só porque amamos alguém, não significa que essa pessoa seja boa para nós. Só porque desejamos alguém na nossa vida, não significa que essa pessoa tenha o direito de estar nela. Mesmo que façamos o melhor para estar ao lado das pessoas que amamos, isso não significa que elas façam o mesmo por nós. Existem pessoas que não vão amar-nos, não importa o que façamos. Mas também sei que há pessoas que nos amarão de qualquer maneira. Só é preciso aprender a diferenciar esses tipos de pessoas.

Agora, estou a aprender pacientemente que há coisas que vão acontecer, independentemente do quanto desejemos que não acontecessem. Estou a aprender pacientemente que há coisas que não quero aprender, mas a vida vai ensinar-mas na mesma. Estou a aprender pacientemente que amo algumas pessoas, mas devo deixá-las ir porque não são boas para mim. Estou a aprender pacientemente que preciso de deixar pessoas que não me merecem e que há uma diferença entre desistir e fazer um favor a mim mesmo.

Eu quero segurar as pessoas porque tenho medo de ficar sozinho, mas estou a aprender a acreditar que haverá alguém por aí que saberá o meu valor.

Estou a aprender que não mereço ser magoado continuamente por alguém que não se importa comigo. Sei que haverá alguém que me tratará como devo ser tratado, que me valorizará.

Aprendi que preciso de manter o meu coração protegido e não permitir que outros me magoem como antes. Agora eu sei que só porque alguém não me valorizou, não significa que eu não tenha valor.

Faço uma anotação mental para mim mesmo, para me lembrar do meu valor e que ninguém mais pode determiná-lo. Sou digno de amor, mesmo que os outros não o vejam. Agora sei que fiz muito por outras pessoas e preciso de parar. Preciso de deixar ir aqueles que não veem o meu valor e saber quando me afastar.

Eu posso fazer o meu melhor pelos outros, sem que eles alguma vez me deem algo em troca. Eu posso dar tudo o tenho e as outras pessoas nunca mostrarem nada além de egoísmo. Portanto, decidi deixá-las ir.

Eu decidi deixar ir todas as pessoas egoístas e tóxicas que só pensam em si mesmas. Não posso continuar a dar tudo o que tenho àqueles que não sabem o que estão a receber. Não importa o quanto eu os ame, preciso de os deixar ir. Aprendi que é melhor deixar aqueles que continuamente me dececionam e me magoam.

Nem todos na minha vida vieram para ficar. Podem estar aqui apenas para me ensinar uma lição valiosa.”

Traduzido de: apost

PARTILHE!

Mais Populares

To Top

Possível adblock detectado

Se estiver a usar um Ad Block por favor desligue-o no nosso website. Os anúncios são essenciais para a manutenção deste website.

Refresh