in

IKEA cria móveis robóticos para apartamentos minúsculos

Atualmente, um apartamento em Hong Kong pode só ter espaço para uma cama e uma sanita ao lado do fogão. Embora a situação ainda não seja tão má em Lisboa e no Porto, as áreas das casas estão a ser cada vez mais reduzidas.

Para ajudar a economizar ao máximo o espaço nestes miniapartamentos, a empresa sueca IKEA criou uma gama de mobiliário robótico.

O conceito foi apresentado durante o evento “Jornadas de Design Democrático”, realizado no dia 4 de junho em Almhult, na Suécia.

O novo sistema Rognan foi desenvolvido em parceria com a Ori Living, startup norte-americana especializada em móveis multifuncionais.

O Rognan é construído sobre a plataforma robótica da Ori, e numa única estrutura, consegue integrar uma estante, um guarda-roupa, um sofá, uma cama e uma secretária.

O sistema é controlado por um ecrã tátil e pode ser movimentado de forma a dividir uma sala pequena em dois espaços ou arrumado num canto.

Com base na solução de armazenamento Platsa, um conjunto modular de móveis criado para encaixar em espaços pouco lineares (como por exemplo debaixo das escadas) já existente na IKEA, o Rognan consegue economizar aproximadamente 8m2 de espaço, o que faz toda a diferença em habitações pequenas.

“Em vez de tornar os móveis mais pequenos, transformamo-los para a função que cada pessoa precisa naquele momento. Quando dorme, não precisa do sofá. Quando usa o guarda-roupa, não precisa da cama”, explica Seana Strawn, responsável pela criação de produtos IKEA.

A empresa pretende ainda lançar outra tecnologia idêntica com a BumblebeeSpaces, uma startup com sede em São Francisco que adapta o teto de maneira a armazenar móveis.

O novo sistema de mobiliário Rognan vai ser lançado em 2020 na China e Japão, mas ainda não foram divulgados preços.

PARTILHE!

Estes amigos constroem a sua própria minicidade para envelhecer juntos – agora milhares estão a copiá-los

Não informe o outro para além do que ele precisa de saber