in

Funcionários do hospital alinham-se para “caminhada de respeito” enquanto se preparam para desligar o suporte de dador de órgãos

As famílias à espera de um um órgão viável para um ente querido sabem muito bem que a sua alegria significa que outra família está a sofrer uma perda. Mas há algum consolo encontrado para essas famílias, sabendo que uma parte da pessoa amada ainda está viva, ainda que em outra pessoa.

A doação de órgãos é um assunto muito sensível, mas concordar em ser um dador de órgãos significa salvar uma vida. Profissionais da área médica no Meridian Medical Center de St. Luke, em Idaho, sabem muito bem quão difícil isso pode ser para as famílias assinar a contribuição de alguém que amam para outra pessoa.

Mas eles também sabem o que isso significa para o destinatário e a sua família. Uma tradição neste hospital chamou a atenção recentemente para o modo como os funcionários do hospital prestam os seus últimos respeitos aos dadores de órgãos.

Chamada “Caminhada do Respeito”, as fotografias da reação tornaram-se virais. Os funcionários do hospital ocupam o espaço entre a unidade de terapia intensiva e os elevadores para prestar homenagem aos dadores de órgãos enquanto são levados pelo corredor.

Não se ouve qualquer som enquanto a cama do hospital é solenemente movida. Os empregados juntam as mãos e inclinam a cabeça enquanto os entes queridos acompanham.

Deb Compton, diretora da unidade de terapia intensiva na St. Luke’s, iniciou a “Caminhada do Respeito” há alguns anos.

“A família e os amigos daqueles que deram o último presente da vida apreciam a demonstração de respeito e compaixão dos funcionários. Durante uma Caminhada de Respeito no Magic Valley em particular, a esposa de um dador foi ouvida a dizer às suas duas crianças pequenas: “estas são as boas-vindas do céu ao pai”. Para estas famílias e entes queridos, a Caminhada do Respeito deixa uma impressão duradoura e, esperamos, proporciona um momento de paz entre o sofrimento. Não é apenas um processo valorizado para eles, também proporciona conforto e um momento para a equipa de atendimento ao paciente refletir sobre os seus próprios sentimentos”, explica Deb.

Lara Leigh Vick, utilizadora do Facebook, comentou na publicação do hospital que o seu irmão mais velho, Paul, doou os seus órgãos. Era difícil para ela como sua irmã, mas reconfortante para ela como enfermeira.

Saiba mais sobre este ritual de homenagem emocionante no vídeo e PARTILHE!

Jovem assustado chora quando Simon diz “tu és o melhor que alguma vez vi”

Noivo não faz ideia da intenção da noiva ao subir o altar e cai no chão