in

Estudo diz que dormir muito nos fins-de-semana pode ajudar a viver mais anos

Maior parte das pessoas acredita que dormir pelo menos 8 horas por dia é o melhor, mas a verdade é que um estudo sobre a duração do sono concluiu que pode não ser bem assim.

Aparentemente, dormir poucas horas durante a semana, mas compensar no fim-de-semana é ainda melhor, podendo mesmo aumentar a longevidade.

A equipa por trás desta investigação seguiu 38.015 pessoas durante 13 anos, com o objetivo de analisar as horas de sono destas e os seus efeitos sobre a taxa de mortalidade, pelo que utilizou um registo nacional de óbitos.

As pessoas foram divididas em dois grupos: um de pessoas com menos de 65 anos e o outro de pessoas com 65 ou mais anos. Tendo em conta fatores como o género, o índice de massa corporal, tabagismo, atividade física e trabalho por turnos, a conclusão foi que o ideal é dormir entre 6 a 7 horas por dia.

Pelos vistos, se tem menos de 65 anos e dorme apenas 5 horas ou menos durante a semana e nos fins-de-semana, tem uma taxa de mortalidade 65% superior às pessoas que costumam dormir 6 a 7 horas por noite.

Porém, dentro da mesma faixa etária, mesmo que só durma durante um bom período de tempo nos fins de semana, já não há um risco de mortalidade maior. É praticamente como se dormisse habitualmente 6 a 7 horas por dia – como se pudesse “enganar a morte”, ao dormir mais ao sábado e domingo, compensando assim as horas em falta ao longo da semana.

Voltando ao mito de que é essencial dormir um mínimo de 8 horas por dia, o estudo constatou que, na verdade, esse hábito pode aumentar a taxa de mortalidade em 25%, comparativamente com um sono diário de 6 a 7 horas.

É importante referir que estes resultados não são iguais nas pessoas com 65 anos ou mais, uma vez que a ligação entre a duração do sono e a taxa de mortalidade tem tendência a desaparecer nessa idade. Segundo Torbjörn Akerstedt, o primeiro autor do estudo, isso pode dever-se ao facto de que as pessoas mais velhas já têm o sono necessário para chegar a esse ponto.

Em suma, já não precisa de se preocupar tanto com as consequências de não conseguir dormir mais que 6 ou 7 horas durante a semana – basta compensar durante o fim de semana.

PARTILHE!

Este homem perdeu o emprego mas não se deu por vencido: hoje ganha milhões como “pescador de bolas de golfe”

Queridos pais, parem de gritar se querem que os seus filhos não façam o mesmo