Inspiração

Ele nasceu com uma deficiência grave, mas a sua mãe não desistiu dele: agora ele é um aluno exemplar de Harvard

Ding Zheng, um jovem de 29 anos da cidade de Wuhan, no centro da China, nasceu com paralisia cerebral, e é um exemplo de trabalhou árduo e dedicação feroz.

Mesmo contra todas as expectativas, estudou na Universidade de Pequim, e agora está a estudar na Harvard Law School.

O seu sucesso também pode ser atribuído em grande parte ao apoio inabalável da sua mãe, Zou Hongyan, que o criou sozinha.

A paralisia cerebral causa falta de coordenação, dificuldade de movimento e possivelmente da fala, mas geralmente não afeta a capacidade mental da pessoa.

O ritmo de desenvolvimento de Ding foi muito mais lento do que seus pares, pois ele sofreu danos no neurónio motor no cerebelo. Ele aprendeu a ficar de pé aos dois anos, a andar aos 3 e a pular aos 6.

A mãe dele garantiu que ele nunca desistisse, incutindo-lhe sempre o sentido de tentar e perseverar.

O processo de reabilitação e terapia foi longo e árduo para Ding, e também para Zou, que treinou para se tornar massagista.

A mãe fazia questão de brincar com ele o tempo todo para desenvolver a sua inteligência, sempre com otimismo, confiante de que os sintomas da doença pudessem ser atenuados.

Ela sempre o incentivou a usar pauzinhos à mesa e superar outras dificuldades de aprendizagem.

“Se ele for o único que não usa os pauzinhos à mesa, os outros ficam curiosos, e ele tem de explicar a todos que tem paralisia cerebral. Eu não quero que ele se sinta envergonhado de si mesmo, então tenho uma fasquia mais elevado para ele, e ele tem de trabalhar mais”, explica Zou.

“Nunca ousaria inscrever-me na Universidade de Harvard, mas a minha mãe sempre me incentivou a tentar. Sempre que estou hesitante, ela está sempre lá a guiar-me”, disse Ding.

Depois da história inspiradora se tornar viral, os internautas elogiaram-no e à sua mãe, e agradeceram por mostrar ao público que não é correto associar pessoas com paralisia cerebral a um QI baixo.

As pessoas com deficiência têm de lidar com muita discriminação e dificuldades em áreas como educação e emprego, mas felizmente a cultura está a melhorar. Segundo a Federação das Pessoas com Deficiência da China, o país tem 85 milhões de pessoas com deficiência, representando mais de 6% da população total.

A China tem melhorado as infraestruturas para que crianças com deficiência recebam educação obrigatória, com o objetivo de aumentar a taxa de 73% em 2014 para 90% este ano.

Em 2014, cerca de 10.000 pessoas com deficiência ingressaram em universidades ou instituições de ensino superior, e o número continua a aumentar.

PARTILHE esta história de superação!

Mais Populares

To Top

Possível adblock detectado

Se estiver a usar um Ad Block por favor desligue-o no nosso website. Os anúncios são essenciais para a manutenção deste website.

Refresh