Divorciada quer sair à noite e deixar os filhos com a mãe

Certo dia, uma mulher divorciada ligou à mãe e perguntou:

– Estou, mãe? Posso deixar os meus filhos contigo hoje à noite?

– Vais sair?

– Vou.

– Com quem?

– Com um amigo.

– Não percebo porque é que te separaste do teu marido, um homem tão bom…

– Mãe, eu não me separei dele. Ele é que se separou de mim!

– Pois, ficas sem marido e agora sais com qualquer um…

– Eu não saio com qualquer um. Mas posso deixar aí os meninos?

– Eu nunca te deixei com a minha mãe para sair com um homem que não fosse o teu pai!

– Eu sei, mãe. Há muita coisa que a mãe fez e eu não faço!

– O que é que queres dizer com isso?

– Nada, só quero saber se posso deixar aí os meninos.

– Vais passar a noite com outro? E se o teu marido souber?

– Ex-marido! Não acho que se importa, ele não deve ter dormido sozinho uma única noite desde a separação.

– Então sempre vais dormir com um vagabundo…

– Não é um vagabundo!

– Um homem que sai com uma divorciada com filhos só pode ser um vagabundo oportunista!

– Não quero discutir, mãe. Posso deixar aí os meninos ou não?

– Coitados dos miúdos, com uma mãe assim…

– Assim como?

– Irresponsável! Inconsequente! Por isso é que o teu marido te deixou.

– Mãe, já chega!

– Ainda por cima gritas comigo. Aposto que não gritas com o vagabundo com quem vais sair.

– Agora está preocupada com o vagabundo?

– Eu não disse que era um vagabundo?! Eu vi logo.

– Adeus, mãe.

– Espera, não desligues. A que horas é que trazes os meninos?

– Já não vou. Não vou levar os meninos, já nem me apetece sair.

– Não vais sair? Vais ficar em casa? E estás à espera de quê, que o príncipe encantado te bata à porta? Uma mulher da tua idade, com dois filhos, pensas que é fácil encontrar marido? Acho um absurdo que ainda precises de um empurrão para sair!

Depois de 18 abortos espontâneos, ela torna-se mãe aos 48 anos

O primeiro nascimento de sêxtuplos do mundo: a família continua a crescer