Disseram para o homem colocar a mulher num lar há 27 anos, e ele levou-a a viajar pelo mundo em vez disso

Esta é a história de amor de Andy e Donna Fierlit, um casal que se conheceu em 1958, está casado há 52 anos e tem 4 filhos e 12 netos.

No ano de 1991, Donna teve uma enxaqueca muito forte durante uma festa de Natal. Pensando que não era nada de grave, esperou que tudo passasse depois de dormir. Porém, no dia a seguir Donna desmaiou e os médicos descobriram que um aneurisma cerebral a tinha deixado parcialmente paralisada.

Infelizmente, a senhora ficou presa a uma cadeira de rosas, e os médicos aconselharam Andy a coloca-la numa casa de repouso.

Mas Andy não conseguia deixar de pensar nos seus votos de casamento, em que tinha prometido ficar com Donna na saúde e na doença, para o bem e para o mal.

Então, em vez de colocar a mulher num lar, ele comprou dois bilhetes para um cruzeiro para as Bermudas. Esta foi uma das muitas viagens que o casal viria a fazer pelo mundo inteiro!

“Claro, é um desafio, mas eu amo a Donna desde o dia em que a conheci e não consigo imaginar fazer outra coisa”, diz Andy.

Embora sofra de perda de memória a curto prazo e mobilidade limitada, Donna continua positiva e aproveita ao máximo as aventuras com o marido.

“Eu tive uma vida espetacular e estou extremamente grata. Todos os dias têm sido uma aventura com um marido como o Andy”, disse Donna.

O casal aprendeu a rir e a pensar criativamente quando as coisas não correm como tinham planeado. Por exemplo, quando esperavam por um comboio em Bruxelas, perceberam que não havia rampa para a cadeira de rodas de Donna… “então, eles colocaram-na num carrinho de bagagem”, lembra Andy.

“Em cada viagem, quase sempre nos deparamos com pessoas carinhosas e amorosas. Todos adoram a Donna, e vê-la iluminar um espaço deixa-me sempre feliz por ela ainda estar ao meu lado”, conta Andy.

Juntos, já visitaram os sete continentes, e ao todo mais de 20 países. A Escandinávia é o próximo destino eleito, mas o casal não quer parar por aí!

Allison Peters, uma das filhas do casal, é testemunha do seu amor verdadeiro:

“Os meus pais testaram realmente os votos matrimoniais. A minha mãe ter ficado doente nunca mudou o amor deles um pelo outro. Só o fez crescer numa direção diferente, e acho que os ajudou a viver cada dia ao máximo e não adiar as coisas que eles queriam fazer. É por isso que eles andam a viajar pelo mundo.”

Que casal inspirador, não acha?

Alunos realizam último desejo de professora falecida

Restaurante fica desolado após pai ter de pedir “permissão” para levar o filho com deficiência para dentro