Emocionante

Entregadores deixam 2 sofás à porta de uma casa: mãe e filho ficam presos durante 2 dias

Uma mulher escocesa de 44 anos, mãe de dois filhos, foi forçada a comer pizza entregue pela janela depois de os distribuidores da empresa Argos bloquearam inadvertidamente a entrada da sua casa com sofás novos durante dois dias.

Sarah Miller, residente em Tayport, na Escócia, encomendou um par de sofás Chesterfield após separar-se do seu marido Adam Cooper dois dias antes, e acabou por ficar presa em casa depois de os entregadores se recusarem a atravessar a entrada e levar os sofás pelas escadas devido às restrições do Coronavírus.

Os sofás estavam empilhados um em cima do outro, o que significava que a porta simplesmente não abria. Resultado: a mulher ficou com o filho de 7 anos, Joel, presos dentro de casa com os móveis a bloquear a entrada e a saída.

Sarah estava em lágrimas quando teve de pedir que lhe entregassem pizzas pela janela para que pudessem comer, e teve de ligar ao ex-marido para conseguirem mover um dos sofás, mas não conseguiram mover o segundo.

A mulher disse que sofreu um esgotamento emocional absoluto com a situação de estar presa com o filho Joel até que o filho mais velho, Jack, a pôde ajudar a mover o segundo sofá e libertá-los.

“Eu chorei muito. Estava a desabar. Havia risco de incêndio ou de outra situação realmente perigosa, tudo por causa de uma empresa estabelecida como a Argos. Agora que superei o impacto emocional disto, nunca mais vou recorrer a eles”, conta Sarah.

Os sofás custavam £ 1.000 e ela criou espaço para eles serem entregues antes de ser informada que os entregadores não poderiam instalá-los.

“Eu perguntei o que ia fazer com os sofás, que estavam a bloquear a porta e eram duas vezes mais altos que na fotografia. Estávamos com fome, mas não podíamos sair, então pedimos uma pizza. O entregador apareceu e teve de empurrar a pizza pela grade da janela da cozinha. O meu filho de 23 anos apareceu no dia seguinte e conseguiu tirar os dois sofás, que cabem perfeitamente na sala de estar, o que comprova que havia muito espaço. Custaram muito dinheiro e seria de esperar que pelo menos fossem entregues com segurança, e que eu pudesse sair pela porta da frente”, explicou Sarah.

Para além disso, a Argos não lhe respondeu durante 6 semanas – apenas quando ela os ameaçou que ia contar a história à imprensa.

“Falámos com Sarah para dizer o quanto lamentamos pelo transtorno. Estamos a preparar um reembolso total e um gesto adicional de boa vontade (no valor de US $ 270)”, comunicou o porta-voz da Argos entretanto.

Mais Populares

To Top

Possível adblock detectado

Se estiver a usar um Ad Block por favor desligue-o no nosso website. Os anúncios são essenciais para a manutenção deste website.

Refresh