in

Algumas pessoas não percebem o que fazemos por elas até deixarmos de fazer

Quantas vezes já testemunhou casos em que uma pessoa tomava outra por garantida e só passou a dar-lhe valor quando a perdeu?

Infelizmente, a verdade é que muitas vezes é isso que acontece: as pessoas só se apercebem do que fazemos por elas até deixarmos de fazer.

Algumas pessoas ficam mal-habituadas e em vez de retribuir as outras com o mesmo amor, carinho e dedicação, agem de forma ingrata e com indiferença. No final, quando ficam sozinhas sentem-se sem chão e é aí que compreendem a falta que lhes faz o apoio de quem esteve sempre lá.

Todos nós temos pessoas nas nossas vidas, que são autênticos anjos, porque nos ajudam sempre, sacrificam-se por nós e dão-nos tudo o que têm. Por isso, merecem todo o reconhecimento, e quando isso não acontece ficam cada vez mais desgastadas.

Muitas vezes, as pessoas deixam de valorizar as coisas boas e focam-se apenas nas más, acabando por fazer as outras sentir-se mal.

Todas as relações necessitam de ser nutridas, trabalhadas e cuidadas, constantemente, por ambas as partes. Se uma delas achar que não tem de fazer nada, o trabalho recai todo sobre a outra, o que não é justo, e inevitavelmente com o tempo vai tudo abaixo.

É desta forma que muitos relacionamentos chegam ao fim. A falta de cuidado, de atenção, de dedicação e reconhecimento são fatais para as relações, e pode ser demasiado tarde quando se percebe isso.

Para evitar que isso aconteça, devemos desenvolver empatia pelo outro, equilibrar os atos de ajuda para não criar uma relação de dependência, e acima de tudo, ter paz interior e não nos perdermos a nós próprios.

É importante reconhecer quem se esforça pelo nosso bem. Por vezes, nem damos conta de certas coisas que sempre fizeram por nós, até estas nos serem retiradas. Mas não temos necessariamente de perder para dar valor, basta ter consciência, empatia e praticar a gratidão. Há sempre espaço para trabalharmos em nós próprios e melhorarmos.

PARTILHE!

Sem-abrigo devolve cheque de $10 mil e recebe uma casa

Mulher queixa-se de anel de noivado surpreendentemente “minúsculo” e “insultuoso” após 8 anos com o companheiro