in

“A Igreja que venda os bens para ajudar os pobres”, diz Papa Francisco

Recentemente, o Papa Francisco sugeriu que a Igreja Católica devia vender os seus bens para ajudar os mais desfavorecidos.

Segundo o Bispo de Roma, a Igreja deve estar “a serviço dos pobres” e que não pode ser considerado escandaloso que venda os bens com essa finalidade.

Este discurso foi dado num congresso sobre gestão de bens culturais eclesiásticos e cessão de lugares de culto, controlado pelo Pontifício Conselho para a Cultura e pela Conferência Episcopal Italiana (CEI).

“Os bens culturais são voltados às atividades de caridade desenvolvidas pela comunidade eclesiástica. O dever de tutela e conservação dos bens da Igreja e em particular dos bens culturais, não tem um valor absoluto, mas em caso de necessidade devem servir ao bem maior do ser humano e especialmente a serviço dos pobres”, disse o Papa Francisco, que defende eta prática em caso de emergência.

“As igrejas não são mais necessárias por falta de fiéis ou padres ou por mudanças na distribuição da população nas cidades e zonas rurais, que devem ser vistas como um sinal dos tempos que nos convida a uma reflexão e nos impõe uma adaptação”, acrescenta, evidenciando que a Igreja deve adaptar-se aos novos tempos.

Porém, o Sumo Pontífice afirma que esta atitude só deve ser tomada em última opção, não devendo ser a primeira nem única. PARTILHE!

Centro Comercial abriga animais à noite para que não passem frio na rua

Pai recusa-se a levar a filha à escola no carro como forma de castigo