in

A bebezinha não recebe visitas no hospital há 5 meses. A enfermeira que cuida dela decide adotá-la

Esta é a história de Liz Smith, enfermeira chefe num hospital de Massachusetts, nos EUA, onde conheceu Gisele, uma linda bebé loira com olhos azuis.

Gisele foi para o hospital onde Liz trabalha apenas 3 meses depois de sair do hospital onde nasceu, pois a mãe é toxicodependente e usou drogas durante a gestação.

Infelizmente, a menina nasceu prematura e com síndrome de abstinência, pesando apenas 900 gr.

Quando Liz a viu, perguntou às colegas a história da pequena, ficando a saber que Gisele estava a recuperar, após ser alimentada durante 5 meses por um tubo, e que estava sozinha porque ninguém a visitou durante todo esse tempo.

Isso deixou Liz de coração partido, pois imaginava que a criança ia apenas acabar num orfanato, sem saber o que é ser amada por uma família. Então, tudo se encaixou na sua mente: “vou adotar esta criança, serei a sua mãe”, pensou.

Liz tinha problemas de fertilidade e cresceu sem mãe, por isso achou que era o destino. Após fazer o pedido de adoção e tratar de tudo, foi informada que a família biológica de Gisele perdeu todos os seus direitos à criança.

“A partir do momento em que a conheci, houve algo por trás dos seus olhos azuis que me chamou a atenção. Senti que tinha de amar esta pequenina e mantê-la segura. Ela tinha problemas de desenvolvimento e eu estava ansiosa por tirá-la do hospital e vê-la crescer como as outras crianças finalmente”, lembra Liz.

Atualmente, Liz e Gisele são oficialmente mãe e filha, e fazem uma dupla verdadeiramente incrível.

PARTILHE!

Jovem lusodescendente canta “Lágrima” de Dulce Pontes no The Voice da França

Os geminianos são pessoas românticas e vale a pena lutar por eles: mas não espere mantê-los na coleira