Soldado de 93 anos morre sem ninguém para carregar o seu caixão – então, 6 jogadores de futebol decidem ajudar

Esta é a história de Thomas Hunter, que esteve no exército desde 1942 até 1949, na Segunda Guerra Mundial, e nunca casou após regressar a casa.

Thomas tinha 11 irmãos, mas aos 93 anos, idade em que faleceu, estava sozinho pois não tinha constituído família.

Os únicos familiares que lhe restavam eram algumas sobrinhas, por isso quando elas estavam a planear o seu funeral, não sabiam quem é que poderia levar o caixão.

Bryan Price, o agente funerário que as estava a orientar quanto às formalidades necessárias, entrou em contacto com um treinador de futebol local chamado Bankston, para saber se algum dos jogadores queria ajudar.

Então, Bankston falou com Matthew Harrell, Brett Jurek, Justin Lawson, TJ Homan, Christian Evans e Lee Estay, que não hesitaram em dar uma mão amiga.

“Eles sabem o sacrifício que o Sr. Hunter fez, e isso significou algo para eles”, conta Bankston. Por isso, no dia do funeral, os 6 adolescentes chegaram nos seus uniformes de futebol e carregaram o caixão ao longo da cerimónia.

Ralph Abraham, o representante dos EUA, não poupou elogios aos jovens. “Eles não conheciam o homem, mas sabiam que todos os soldados merecem ter uma morte com dignidade e ser honrados pelos sacrifícios que fizeram em defesa da nação. Acho que as ações destes jovens falam muito sobre o que é verdadeiramente importante – país, comunidade, família e Deus”, disse ele.

Esta senhora grávida não sabia que lhe tinham tirado o bebé da barriga. Semanas depois, ela vê a criança.

Bombeiros invadem creche após pai frenético ligar para as emergências a gritar que a bebé não está lá