in

6 coisas que só as pessoas com baixa autoestima fazem no Facebook e Instagram

As redes sociais mais famosas da atualidade são o Facebook e o Instagram, nas quais partilhamos vários textos e imagens com milhões de pessoas diariamente. Muitos de nós publicam opiniões, piadas, vídeos, fotografias, entre muitas outras coisas.

Os especialistas determinaram que o que você partilha no Facebook diz muito sobre a sua personalidade e inteligência, já que, segundo eles, o conteúdo das suas publicações é uma projeção de si mesmo e dos seus hobbies.

Cada coisa partilhada pode dar a entender os seus medos, complexos, traumas, paranoias, ego e até mesmo os seus valores e educação. Portanto, é aconselhável analisar muito bem o que deseja transmitir nas redes sociais, para não se expor demasiado.

Sem se aperceber, algumas das suas publicações gritam aos quatro ventos que você tem baixa autoestima. Veja os sinais:

  1. Partilhar a sua localização.

Para além de não ser bom dar a conhecer o sítio onde se está, devemos viver o momento em vez de estarmos preocupados em mostrá-lo.

  1. Publicar fotografias no ginásio.

Colocar fotografias no ginásio e gabar-se não irá multiplicar os resultados. Atualmente, quase toda a gente partilha que foi treinar, como se só isso validasse o treino.

  1. Colocar fotografias das suas refeições.

Porque não simplesmente desfrutar da sua refeição em vez de a fotografar para os outros verem?

  1. Mostrar as compras que fez.

Seja um novo par de sapatos ou o iPhone mais recente, partilhar aquilo que se compra nas redes sociais pode parecer mal pois passa uma imagem de superioridade.

  1. Fotografias do seu carro a exibir a marca.

Pelas mesmas razões que o ponto anterior, é de evitar publicar muitas fotografias do seu carro, e também por privacidade.

  1. Publicar muitas selfies.

A Universidade do Arkansas concluiu que as pessoas que publicam selfies constantemente são particularmente inseguras. Elas precisam de ser aceites pelos outros e procuram elogios.

Apesar de tudo, naturalmente cada um é dono das suas redes sociais e tem o direito de publicar aquilo que quiser e bem entender. Estas são apenas algumas recomendações baseadas em estudos e opiniões mais comuns.

PARTILHE!

Aos 70 anos e após já ter trabalhado como empregada doméstica, dona Ivete realiza o sonho de se formar

Organização mágica: a arte japonesa de arrumar a casa e a vida